quarta-feira, 23 de julho de 2008

Mora em mim um covarde
Que mente que chora que arde
Que enfrenta um batalhão

Nenhum comentário: