quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Marta, de novo...

Marta--a-morta-2

Um comentário:

Pedaços meus disse...

Um desejo inocente,
porém indolente,
latente por entre os uivados da noite.
Dentro da profunda escuridão,
uma desejosa luz untado à uma intensa e veemente vontade,
aquela simples e vulcânica vontade de alcançar algo ou alguém.
Não se sabe ao certo...
Talvez as certas curvas sustentadas de mangueiras alimente essa vaga imensidão de ligação...
Por entre o urbano a vida,
por entre as curvas a pré-vida ...
Quem explica...
Talvez ela que nunca amou!
(Marisa Mattos)